Por onde andam os nossos dados pessoais?

Há uns dias atrás resolvi ser “mázinha”, e fazer um teste na internet, para ver por onde andam a circular os nossos dados pessoais, que de boa vontade fornecemos, muitas vezes numa simples inscrição para uma passatempo, numa compra online, ou em outra coisa qualquer que achamos não ter muita importância.

seguranca-de-dadosDepois de receber e-mails aos montes de empresas onde sei que nunca forneci dado nenhum… Depois de ser incomodada vezes sem conta por telefonemas para me venderem tudo aquilo que não quero e não preciso… inventei uma “eu nova”. 

Faz algum tempo que ando a receber e-mails para encomendar online umas lâminas para depilar as pernas de uma marca desconhecida chamada Estelle, tudo  grátis mas com os portes pagos, e bem caros (informação esta disfarçada pelo meio do texto). Um artigo que não me inspira qualquer confiança, mas a palavra “grátis” como sabemos atrai e muito as pessoas…

Criei então uma personagem fictícia: A tal “eu nova”

  • Criei um email novo
  • Inventei um nome novo
  • Inventei uma morada
  • Dei um número de telefone falso ( se existe, peço desculpa ao seu dono )

Lá encomendei a dita “gillete” para rapar as pernas, com todos os campos devidamente preenchidos… e que deve andar por aí as voltas no correio à procura da sua nova dona.

Onde é que eu quero chegar com toda esta conversa? Mostrar onde esses dados fictícios já foram parar, e isto em poucos dias, pois já recebi todo o tipo de e-mails dirigidos a esse nome que inventei:

  • Comecei com um convite para subscrever a newsletter do Jornal digital “O Observador”
  • De seguida uma promoção para fazer um seguro auto com a “Ipronto”
  • Informação sobre uma campanha da Meo a 24,99€ por mês
  • Um e-mail da Leroy Merlin com promoções para artigos de jardim
  • A Dra. Ana Costa  prometeu-me perder 17 Kg em 1 mês, só a ler o artigo dela
  • A La Redoute  ofereceu-me 50% de desconto na nova coleção Outono/inverno
  • A Danone ofereceu-me vales desconto, para poupar até 50€ nos seus produtos
  • Os seguros LOGO dizem-me que posso poupar mais de 250€ no seguro automóvel
  • A Medicare ofereceu-me um vale de oferta de medicina dentária
  • A Credijet oferece-se para juntar todos os meus créditos num só
  • E por fim ainda fui à Bruxa Laetizia, que estava a ter uma visão com a “eu nova” e me disse:   “Se você é quem eu penso que é, você se sente preso a inúmeras dificuldades: há uma solução para extinguir o empecilho que bloqueia a realização de todos os seus sonhos de felicidade” . E depois surge  isto:

A senhora é medonha, mas pronto é uma  bruxa… mas, se estava a ter uma visão comigo, porque raio me pergunta ela se sou homem ou mulher? Bruxa fraquinha…

Mas o que eu estranho mais é que da Metlife, nada…o que se passa com estes senhores que ainda não tiveram acesso à minha “eu nova” ? No entanto tenho esperança que  ainda  apareça alguma coisa!! Porque eles estão em todo o lado.

Em conclusão, e agora sem brincadeiras,  temos de ter cuidado quando fornecemos os nossos dados na Internet, porque eles espalham-se mais rápido que o vírus da gripe… cuidado com os passatempos que oferecem carros, viagens ás Maldivas, vales de 500€ em compras de sapatos, ou supermercados, etc… são apenas o isco para nos sacar tudo o que precisam de saber sobre nós.

No entanto neste caso, nem foi  isso que aconteceu, porque eu não vou nessas conversas de ganhar mundos e fundos, mas foi apenas a encomenda de uma simples “gillete” para rapar as pernas…e vejam bem onde os meus dados fictícios foram parar!!

Guardar

Guardar

One thought on “Por onde andam os nossos dados pessoais?

  1. Marta Silva says:

    E existe em Portugal uma comissão de protecção de dados, leis de protecção de dados, cópia do CC/BI dá multa etc etc etc. Como seria se não houvesse?
    Cá para mim fazem leis destas para o povo se sentir seguro mas que não as aplicam de modo algum excepto para garantir uns tachos bem pagos e algumas multas chorudas que dai advenham, agora verdadeiro interesse na defesa dois cidadãos…
    Para qualquer coisa, realmente, pedem-nos uma lista de informação mais completa que um antigo ficheiro da PIDE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *